A história do chapéu dos chefs de cozinha

Por volta de 1630, o rei da França, Luis XIII, instituiu o uso desse chapéu dos chefs (toques)por seus cozinheiros. Tamanha foi a valorização da arte culinária desde então que os cozinheiros ganharam novo nome: oficiais da boca. Como em todos os cargos dos palácios existia uma hierarquia, o mesmo acontecia com os funcionários da cozinha. Assim, o rei Luis XIII determinou que essa hierarquia dos cargos de cozinheiros fosse manifestada pelo tamanho dos chapéus. O chef de cuisine usava um boné grande e seu ajudante, um bonezinho. Apesar de a popularização dos chapéus de cozinheiro ter advindo dos palácios franceses, os monastérios há muito mais tempo já utilizavam esse chapéu dos Chefs. Eram os monges os melhores cozinheiros e os franceses, gostando de suas vestimentas da cozinha, copiaram e difundiram pelo mundo essa tradição.

Caso queira ver alguns modelos de chapéu a venda no site quecozinha.com.br clique aqui

chapéu-dos-chefs

Como na França, os chapéus dos chefs são chamados de toque blanches e no Brasil não traduziram, ficou conhecido como ‘toque’, simplesmente. O chapéu, além de ser alto por uma hierarquia, serve para evitar que os fios de cabelo caiam, além de ajudarem na refrigeração da cabeça. Os ‘toques’, bem altos, são usados apenas pelos grandes chefs e, normalmente, são descartáveis. Os chapéus baixinhos usados por ajudantes são chamados bibicos. Então, já sabem: se se depararem num restaurante com alguém usando um desses chapéus dos chefs bem alto, estarão diante do chef que criou os maravilhosos pratos do cardápio.

Esperamos que tenham gostado dessas informações. Continuem acompanhando o Blog Que Cozinhanão deixe de conferir nossa página no Facebook e nos seguir no Twitter!

Comments: 3

  1. eduardo 4 de setembro de 2015 at 20:39

    quero compra um

  2. Charlisson Almeida 10 de fevereiro de 2017 at 19:17

    Eu também!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.